terça-feira, 16 de abril de 2019

Deputado Getúlio Rêgo exige equidade entre ativos e inativos quanto ao reajuste do magistério e convoca aposentados para próxima reunião da Comissão de Finanças



Foto: Assessoria de Comunicação ALRN
Na manhã desta terça-feira (16), em reunião da Comissão de Finanças e Fiscalização (CFF) da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte (ALRN), o deputado Getúlio Rêgo (DEM) exigiu do Governo do Estado equidade no reajuste do magistério entre os professores ativos e inativos do estado.

O Projeto de Lei nº 013/19, que trata do reajuste do Magistério chegou a ser aprovado por unanimidade na Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ). Já na CFF, o parlamentar democrata questionou sobres os prejuízos que os professores inativos poderiam ter com a aprovação do projeto original.

"Não aceitamos que os professores aposentados, exatamente aqueles que deram sua vida ao magistério estadual e certamente os mais necessitados venham a ser penalizados com esse parcelamento do retroativo em sete parcelas. Chego a ficar surpreso como o governo do estado que tem uma professora como gestora propor esse sacrifício aos aposentados", comentou Getúlio.

De acordo com o parlamentar estadual, os aposentados amargam um atraso de quatro folhas de pagamento e não é justo que aja o parcelamento, a partir de maio, dividido em sete parcelas. "Não podemos aceitar que o Sindicato que representa a categoria aceite esse absurdo com nossos professores aposentados", finalizou.

Com o apoio do deputado Galeno Torquato (PSD), que sugeriu a convocação e participação dos representantes dos aposentados na próxima reunião da CFF, na próxima terça-feira (13), às 10h. Diante dos argumentos dos parlamentares, o presidente da Comissão Tomba Farias (PSDB) confirmou a realização de uma nova reunião.

De acordo com o projeto, para os professores ativos, o reajuste será implantado a partir de abril próximo e o retroativo em três parcelas, nos meses de abril, maio e junho de 2019. Já em relação aos aposentados, o reajuste será implantado a partir do próximo mês e o retroativo em 7 parcelas, sendo a primeira parcela, no percentual de 4,17% paga em junho, referente ao mês de janeiro de 2019; e as demais, no total de 6, no percentual de 2,085%, pagas nos meses de julho a dezembro, referentes aos meses de fevereiro, março e abril de 2019.

Anterior
Proxima

Postador

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››