segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Delatora confirma na justiça que esquema de desvios da ALRN começou com Robinson Faria, em 2006


Na manhã desta segunda-feira (10), Rita das Merces Reinaldo, ex-procuradora da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte e pivô da Operação Dama de Espadas, deflagrada em 2015 pelo Ministério Público Estadual, prestou depoimento na justiça estadual e confirmou como funcionava o esquema milionário de desvios na ALRN.

Entre as confirmações feitas pela delatora está o detalhamento de como a organização criminosa formada por servidores e ex-presidentes da Casa Legislativa atuava. Em um dos trechos de seu depoimento, Rita das Merces disse que os desvios começaram a pedido do atual governador e ex-deputado estadual, Robinson Faria, em 2006.

De acordo com a ex-procuradora, o então presidente da ALRN pedia, mensalmente, no mínimo R$ 100 mil, fora da estrutura legal de captação de recursos do Legislativo. Ainda segundo a depoente, o esquema envolvia as chamadas "folha de pagamento 2" e "folha de pagamento 3", onde pessoas eram incluídas com a finalidade de captar valores, sem dar expediente. O esquema continuou nas gestões seguintes.

Segundo o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) o esquema criminoso instalado na ALRN, entre 2006 e 2015, teria desviado algo em torno de R$ 5,5 milhões. Em seu depoimento, a Dama de Espada confirmou que todos os elementos apresentados em sua delação premiada são verdadeiros e que deputados estaduais, federais, desembargadores, senadores e outras figuras políticas foram os beneficiados no maior caso de corrupção dentro a Assembleia.

Informação: Tribuna do Norte
Anterior
Proxima

Postador

0 comentários:

‹‹ Postagem mais recente Postagem mais antiga ››